20191207 13ag coopernico

Coopérnico aprova nova Direção e Plano de atividades com foco nas Comunidades de Energia

2019-12-07
A Coopérnico elegeu, hoje, em Assembleia Geral, em Lisboa, a nova composição dos Órgãos Sociais para o quadriénio 2020-2023 e um Plano de atividades que visa o crescimento da Cooperativa e a promoção do crescimento em Portugal das Comunidades de Energia. Criada em Novembro de 2013, a Coopérnico é a primeira cooperativa portuguesa de energias renováveis e conta com mais de 1450 membros e mais de 1,5 milhões de Euros investidos pelos cooperadores em cerca de 30 projetos de energia solar espalhados no território nacional, nos telhados de organizações da economia social e do setor público.
O Decreto-Lei 162/2019, publicado em Diário da República a 25 de outubro, resultante da transposição parcial de Diretivas Europeias, introduz os conceitos de Autoconsumo coletivo e Comunidades de energia, com o objetivo de permitir o crescimento do papel ativo dos cidadãos e comunidades na produção da sua própria energia renovável. Nuno Brito Jorge, Presidente da Direção reeleito, destaca que “como cooperativa, a Coopérnico é a primeira comunidade de energia renovável em Portugal  e queremos agora, com a introdução do novo regulamento assumir um papel central na promoção e facilitação do aparecimento de outras comunidades de energia, de diversas naturezas.” O plano passa pelo desenvolvimento de uma estratégia focadas nas oportunidades introduzidas pelo decreto, ao nível da produção em conjunto, em contextos como bairros ou condomínios, ou na agregação de produtores-consumidores. A nova estrutura conta com sete membros na Direção, com o objetivo de dar respostas à crescente atividade da cooperativa, às permanentes solicitações de apoio e colaboração “desde as comunidades de energia à pobreza energética, comercialização de eletricidade ou mobilidade elétrica e também de aproximar a Coopérnico das tomadas de decisão políticas no setor energético, para assegurar que o caminho de transição energética em curso em Portugal não esquece o papel ativo dos cidadãos e fundamental descentralização da produção”, acrescentou. A nova Direção da Coopérnico tem ainda como membros, Pedro Martins Barata, especialista em alterações climáticas e política ambiental, Inês Campos, investigadora e especialista em comunidades de energia, Miguel Almeida, economista e cooperativista com o pelouro da comercialização, João Crispim, eng. eletrotécnico com o pelouro da produção renovável, Rui Pulido Valente, ex-professor do Instituto Politécnico de Portalegre com o pelouro da dinamização territorial e eficiência energética e Guilherme Luz, também investigador com o pelouro da inovação e tecnologia. 
Por: Direção Coopérnico
Categoria: Notícias

Comentários (1)

Romulo Sellani
09 Dez 2019 - 13:30

Estão todos de parabéns!
Organização excelente e ambiente envolvente.